Construção Civil

Um dia, sobretudo, será o mundo inteiro, será o tempo e todos os seus percursos. No início, a coisa parecerá um sonho ou um projeto irrealizável. Depois notaremos sinais que nos levarão a acreditar, em seguida participaremos de tudo. E por fim, agiremos na direção de algo desconhecido. Os demolidores virão, e seus instrumentos se deslocarão do que seria hipótese, tornando-a, então, matéria e cansaço.

Em Construção Civil, seis performers erguem uma estrutura cujo projeto acontece no durante do próprio trabalho. Não é arquitetura, mas uma ação fora de ordem e fora da ordem. Arquitetos não-especializados fabulam atentado ao espaço público segundo protocolo sem plano predefinido. O duplo sentido do título nomeia o próprio sentido da narrativa. Interessa o que cinema consegue propor como coreografia. Interessa o que o registro consegue propor como fabulação de futuro. Filme-performance. O descompasso entre materiais e agentes criativos se mobiliza com o nosso país Brasil e com a nossa Fortaleza: bambeia, erra e desconsidera, formulando irregularidades em diferentes níveis, classes, regiões. Durante seis dias, trabalhadore(a)s reivindicam a necessidade de uma política coletiva diante do caos e da crise atual. No sétimo dia, não há o descanso, mas o desmonte. Um programa de performance permanece como tal: vale pelo próprio realizar-se. Mais ou menos como dizia o poeta Caetano: Aqui tudo parece/Que era ainda construção/E já é ruína.

Construção Civil (foto de Igor Cavalcante Moura)5.jpg

|| Ficha Artística

Performers: Andreia Pires, Andrei Bessa, Geane Albuquerque, Gyl Giffony, Lucas Galvino e Wellington Fonseca

Construtores convidados: Aline dos Santos, Bruno Everton, Francinaldo Dimas, José Ivan, Lucieudo e Neto

Direção: Andreia Pires

Roteiro: Andreia Pires, Lucas Galvino e Thereza Rocha

Dramaturgismo: Thereza Rocha

Interlocução: Luís Garay 

Trilha sonora: Uirá dos Reis

Realização audiovisual: Artífice Filmes 

Direção de fotografia: Lua Alencar

Câmera: João Barretto e Lua Alencar 

Imagens aéreas: Lua Alencar 

Montagem: Lua Alencar 

Tratamento de Áudio: Iron Cavalcante 

Colorização: João Barretto

Designer gráfico: FilipeAnjo

Still e fotos: Igor Cavalcante Moura 

Produção: Andrei Bessa, Gyl Giffony e Geane Albuquerque

Assistente de produção: Rafael Abreu e Wellington Fonseca 

Apoio: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

 

Este projeto é uma estreia Panorama Raft 2021

 

Coprodutores Panorama Raft: Festival Panorama, Bates Dance Festival, CAC Contemporary Arts Center, CCN de Caen en Normandie, Charleroi Danse, DanseHallerne, FTA - Festival Transamériques, Gessnerallee, HAU Hebbel am Ufer, In Between Time, PACT Zollverein, Points Communs, SESC São Paulo, Teatro Municipal do Porto, Trajal Harrel Company, Hyperjetlag Arts, Voo?uit, Walker Art Center